14 de set de 2016

Sou Cacheada e daí ?


Olá meninas, ainda no embalo do post de ontem #todecacho, eu resolvi vir aqui contar para vocês um pouquinho do processo que tive para aceitar ser cacheada.
Daquelas... Era uma vez.... Brincadeira, então minha mãe sempre disse que desde pequena meu cabelo era muito volumoso, com o passar dos anos eu sempre ia cada vez mais prendendo o meu cabelo, minha mãe sempre dizia ao contrario “Solta esse cabelo menina”, “Seu cachos são tão lindos”, “Pra que prender?” e como de praxe a gente não escuta as nossas mães eu também não escutava a minha, sempre andava com o cabelo preso ou com trança e muito creme porque não podia ficar nada fora do lugar.
Lembro uma vez que fui daminha de honra da minha prima, e para não usar ele cacheado e tal, eu passei umas 10 horas no salão fazendo escova, chapinha e baby lise, tudo para durar alguns minutos e desmoronar tudo, isso aconteceu na minha formatura, na minha festa de 15 anos e em outros eventos.
Acho que isso aconteceu mais por influência das minhas tias, sabe? Isso acabou ficando na minha cabeça, quantas vezes eu escutei, faz um relaxamento só para abaixar o volume ou um selamento de fios para soltar os cachos, ou ate mesmo uma progressiva sem formol. O tanto que foi falado eu acabei sim fazendo um relaxamento, ai veio outro relaxamento e mais outro relaxamento, claro que de primeira vez que se passa tudo fica lindo, só que o passar dos dias sem não cuidar ficou ressecado mais que o normal, lógico que tive que cortar o meu cabelo para tirar as pontas ressecadas, o comprimento do meu cabelo era a baixo da cintura e tive que cortar quase no ombro.
Eu sendo teimosa depois de um tempo resolvi que queria fazer tipo selamento de fio, esse “tratamento” garantia que os cabelos ficassem mais soltos etc, depois de uns dia meu cabelo ficou totalmente ressecado, e nas pontas ficou totalmente lisa. E advinha o que tiver que fazer? Cortar novamente, para tirar todo o processo químico. E minha mãe tinha avisado que isso não ia dar certo e realmente não deu, boca de mãe é santa HAHAHAH
Como vocês podem ver na foto ao lado, realmente a química acabou com o meu cabelo. Acho que a química foi tão forte que meu cabelo não cresce mais como era antes sabe? Não me arrependo do que eu fiz até porque tudo isso valeu de aprendizado.
Depois disso eu resolvi tomar uma decisão de aceita o meu cabelo da forma que ele é isso aconteceu depois que conheci a blogueira Rayza Nicácio, que me mostrou em cada vídeo que nos somo bonitas, independente de qualquer coisa, e que essa ditadura da beleza que vem através das mídias digitais, revistas que impõe para gente desde cedo, esta totalmente errada nos ensina que pra ser feliz amada, devemos ser magra, ter uma aparecia legal, ser cool, ter cabelo liso. Mais não é assim que funciona, somos bonitas da forma que viemos a mundo, e se aceitar é essencial. Deixe de lado todo esse tabu, nascemos para ser feliz, então vamos viver que esse mundo é todo nosso. #todecacho

Espero muito que vocês tenham gostado desse post, foi um resumo muito breve dessa minha “transição”, lembre-se que vocês devem se amar mais, porque se você não se ama quem vai te amar?
Vejo vocês no próximo post, não deixem de seguir o blog para acompanhar tudo. Deixe nos comentários a sua historia, eu vou amar ler. 
                                                                                                                                         Beijos da Tai;*

Nenhum comentário:

Postar um comentário